Blog

Novidades da Estética

Covid-19 e procedimentos estéticos

A imagem mostra uma mulher branca, de cabelo castanho claro, curto e ondulado, e olhos castanhos. Ela está posicionada à esquerda da imagem e usa máscara de proteção branca na face e blusa branca. O fundo da imagem é azul claro.

Será que a infecção pelo Covid-19, e a vacina contra o vírus, podem causar algum efeito colateral em pessoas que passaram por procedimentos estéticos? Essa é uma dúvida recorrente dos nossos pacientes, e por isso, neste artigo, vamos falar sobre as possíveis reações da vacina em paciente que aplicaram preenchedores no passado, e se ela pode afetar a durabilidade do seu procedimento. Confira!

Fiz um tratamento estético antes de ser infectado pela Covid. Posso ter alguma reação?

Sim. Em recentes pesquisas, foi apontado que pacientes que têm algum tipo de preenchimento no corpo ou no rosto, tanto com ácido hialurônico ou outras substâncias semipermanentes ou permanentes, podem ter uma reação inflamatória na região de aplicação após a infecção pela Covid-19.

Isso porque, a partir do momento em que há uma infecção por vírus em nosso organismo, ela pode causar uma reação inflamatória nesses preenchedores e causar inchaço. Por exemplo, em pacientes que fizeram preenchimento de olheira e tiveram infecção por um vírus (gripe, coronavírus ou pela própria vacina), a região pode acabar inchando por um período.

No entanto, cabe destacar que o inchaço causado por essa reação inflamatória geralmente não é algo grave. Costumamos chamar esse tipo de reação de “Edema Tardio Intermitente Persistente” (ETIP), o qual costuma se resolver sozinho na maioria dos casos. Contudo, se você tiver receio sobre esse efeito ou apresentar alguma reação maior, procure o seu médico para fazer um tratamento e acompanhamento e solucioná-lo o quanto antes.

A Covid-19 diminui a eficácia dos procedimentos estéticos?

Outra preocupação dos pacientes que testaram positivo para a Covid é se o vírus pode alterar a eficácia dos procedimentos previamente realizados. Segundo a Dra Gianna, as pessoas que fizeram aplicação de toxina botulínica podem sim ter uma diminuição da durabilidade da substância caso sejam infectadas pelo coronavírus.

Além disso, para pessoas que estão em processo de vacinação e já tomaram a primeira ou as duas doses da vacina contra a Covid, é recomendado que aguardem, pelo menos, de 15 a 20 dias para fazer a aplicação de toxina botulínica. Ainda não há comprovação científica sobre os efeitos da vacina em pacientes que realizam procedimentos, mas assim como a toxina normalmente não é aplicada em pacientes com gripe ou que fizeram a vacina da gripe recentemente, é provável que o mesmo cuidado seja necessário para os casos da vacina da Covid.

Por isso, mantenha a cautela e aguarde de duas a três semanas para agendar o seu procedimento e garantir um resultado mais seguro e eficaz.

Preenchedores faciais

Os preenchedores são utilizados para recuperar o aspecto jovem da pele e/ou tratar regiões que sofreram com a perda de colágeno, passando a apresentar um aspecto envelhecido e flácido.

Com o envelhecimento, a presença do ácido hialurônico diminui e, ao mesmo tempo, ocorre a perda da capacidade de reposição desta substância pelo nosso organismo. Com os sinais do envelhecimento mais evidentes, as pessoas passam então a buscar alternativas capazes de solucionar esse problema, entre elas, os preenchedores. 

Através de uma minuciosa avaliação médica, o médico irá elaborar um protocolo de tratamento específico para o seu caso, que permitirá alcançar os resultados desejados, de acordo com a melhor opção de preenchedor para cada caso.

Tipos de preenchedores

Em geral, as reações inflamatórias e de inchaço apresentadas em pacientes que tiveram Covid ocorreram em pacientes que aplicaram preenchedores no passado. Mas afinal, que substâncias são essas e de que forma elas atuam em nosso organismo?

Atualmente, existem três tipos principais de preenchedores, que são indicados de acordo com os objetivos e quadro apresentado por cada paciente, são eles: ácido hialurônico; ácido polilático e hidroxiapatita de cálcio.

Ácido Hialurônico

É uma substância produzida naturalmente pelo organismo e que está presente principalmente na pele. Tem como função reter água e conferir mais hidratação e volume. O ácido hialurônico tem o poder de revitalizar a pele, suavizar rugas e realçar os contornos do rosto, proporcionando uma aparência mais renovada e descansada.

Ácido Polilático

É um bioestimulador de colágeno injetável, composto de ácido poli-L-ático, uma substância totalmente absorvível pelo organismo. O ácido atua de dentro para fora, suavizando os sinais do envelhecimento da pele e melhorando o aspecto de flacidez.

Hidroxiapatita de Cálcio

Além do efeito de preenchimento imediato, os componentes da Hidroxiapatita de Cálcio estimulam a produção de novas fibras de colágeno pelo organismo. Assim, a pele recupera a sua firmeza e elasticidade, e garante um aspecto mais viçoso e jovem.

A Covid-19 e a vacina podem alterar o formato do preenchimento?

Apesar de não ser uma reação comum, quando há efeito inflamatório, muitos pacientes costumam ficar receosos sobre se o inchaço é passageiro ou se trará modificações permanentes à região onde o preenchedor foi aplicado.

A Dra Gianna explica que, em geral, esse inchaço não irá interferir no resultado do seu preenchimento, nem mesmo diminuir ou alterar o formato da área de aplicação do preenchedor.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o vídeo: Covid-19 e Procedimentos Estéticos | Dra. Gianna Zaffari Frey

logomarca Clínica Dra. Gianna Zaffari Frey

Os principais procedimentos e novidades do universo da beleza são temas mensais de nossos artigos, visando informar, entreter e explicar as mais variadas dúvidas e técnicas estéticas.

Acompanhe nosso conteúdo exclusivo e fique à vontade para nos contar um pouco mais sobre os seus objetivos, assim como suas curiosidades! ?

Assine a Newsletter

Protocolos estéticos personalizados para você!

Agende uma avaliação e saiba mais sobre os tratamentos e protocolos estéticos mais indicados para potencializar suas características naturais.

Topo